Buscar

MCTIC reforça parceria com os estados para reduzir emissões de gases do efeito estufa

quinta-feira, outubro 06, 2016

Em encontro com representantes dos estados do Nordeste, Coordenação Geral de Mudanças Globais de Clima do MCTIC apresentou o Sistema de Registro Nacional de Emissões, ferramenta desenvolvida para ampliar o conhecimento científico e a adoção de medidas de mitigação. Opções de redução nos setores de transportes e energia foram discutidas. Novo ciclo de palestras está previsto para ocorrer em Manaus (AM) até o fim do ano.
O setor de transportes é um dos que mais contribui para a emissão de gases do efeito estufa | Crédito: EBC
Para estreitar a parceria com os estados nas políticas de redução das emissões de gases do efeito estufa, o Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) apresentou o Sistema de Registro Nacional de Emissões (Sirene), uma ferramenta desenvolvida para ampliar o conhecimento científico e a adoção de medidas de mitigação. No ciclo de palestras realizado em Salvador (BA), secretários e representantes de seis estados do Nordeste conheceram algumas opções de redução de gases nos setores de transportes e energia.

Curta nossa página no Facebook para ficar por dentro das novidades do mercado da Macaúba!

Segundo a analista da Coordenação Geral de Mudanças Globais de Clima (CGMC) do MCTIC Renata Grisoli, antes de se pensar em qualquer opção de mitigação de emissões de gases de efeito estufa, é preciso identificar o perfil de emissões. "A ideia é de que os estados e municípios possam, a partir do Sirene, pensar em políticas locais", disse.

O professor Bruno Borba, do Departamento de Engenharia Elétrica da Univeresidade Federal Fluminense, apresentou o cenário de emissões no setor de transportes e as inovações que vêm sendo introduzidas.

A mesma abordagem foi apresentada para setor energético pela pesquisadora Mariana Império, do Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Coppe/UFRJ). "Foi uma troca muito boa. A gente consegue passar um pouco do que a gente sabe e eles trazem sua experiência", avaliou.

Para o coordenador técnico do Projeto Opções de Mitigação, desenvolvido pelo MCTIC em parceria com o Pnuma, Régis Rathmann, os ciclos de palestras são uma iniciativa de diálogo. "O estado é um parceiro importante para a implementação das opções de mitigação de emissões de gases do efeito estufa. "Não basta o governo federal levar a cabo a implementação destas ações porque a adoção de práticas de baixo carbono, por setores específicos, depende do engajamento de estados e municípios. Esse é o caso da gestão de resíduos sólidos urbanos, que é de atribuição municipal. Por isso, a implementação de todas as ações de mitigação necessita destes atores enquanto parceiros", analisou Rathmann", analisou Rathmann.

Para a diretora do projeto, Moema Corrêa, o encontro permitiu o conhecimento das experiências dos estados e municípios do Nordeste. "Acho que a gente abriu canais para contatos posteriores, para fazer uma articulação relativa às questões de inventário e às questões de mitigação."

Até o final do ano, o último Ciclo de Palestras "Rumo a uma Economia de Baixo Carbono: Opções Setoriais de Redução de Emissões" vai passar por Manaus (AM), onde o MCTIC pretende reunir representantes de todos os estados da região Norte.

Fonte: MCTIC

Veja também:

0 comentários

Agradecemos seu comentário! Volte sempre :)

Total de visualizações de página